Paróquia Saõ Sebastião Home Galeria
Movimentos Comunidade Conselho Dízimo Notícias Casamento

Litigia Diária
Bíblia On-Line
Reflexões da Semana
História dos Santos
Nosso Padroeiro
Aniversariante do Mês
F T
História
História  

A fé dos moradores da Vila Cruz fez com que alguns amigos se unissem para conseguir um terreno para a construção de uma Igreja. Foi, então, que os senhores Anacleto Zanata, Pedro Gralha, Júlio Anselmo e Pedro Pesente procuraram um rico comerciante, proprietário de um grande armazém de secos e molhados, situado na Rua Assis Figueiredo, e proprietário da maior parte dos terrenos da Vila Cruz. O Senhor Sebastião da Gama Cruz não hesitou em doar o terreno para a construção da Igreja e o nome do Santo Padroeiro, merecidamente, não poderia ser outro: São Sebastião, em sua homenagem. Também o bairro tem o seu sobrenome, tamanha a sua influência. Isso aconteceu em 15 de setembro de 1945.

Celebrava missa, nessa época, o Padre Geraldo Reis, Capelão do Colégio São Domingos.

No ano seguinte, os Oblatos de Maria Imaculada, a convite do Bispo de Guaxupé, Dom Hugo Bressane de Araújo, assumiram a Igreja e, em 18 de agosto de 1946, com a designação do Padre Joseph Ryan como primeiro vigário, a Igreja passou a ser Paróquia.

Poços de Caldas foi a primeira missão oblata no Brasil fora de São Paulo. Posteriormente, integraram-se à missão as Irmãs da Sagrada Família de Bordeaux que, mais tarde, foram substituídas pelas Irmãs Felicianas.

FotoComeçaram o atendimento às fazendas. No início eram dezessete em Minas e seis em São Paulo. O acesso era feito a cavalo, o que não era fácil. É curioso saber que o Padre Ryan foi mordido por um cavalo, perdendo parte da orelha. Só mais tarde chegou um jipe, adaptado com alto-falante, transformador e altar – uma capela móvel.

Fiéis ao ideal de seu fundador, Santo Eugênio de Mazenod, e seguidores de seu exemplo, os Oblatos dedicaram-se à educação primária, fundando, em 6 de abril de 1948, a primeira escola, que funcionava num sobrado, onde, no andar térreo, era a "Farmácia São Sebastião", e, no superior, as salas de aula.

História

Iniciou-se a "Campanha dos Tijolos" para a construção da escola ao lado da Igreja velha. A comunidade organizou-se para movimentar as quermesses, em barracas montadas no jardim da antiga casa paroquial, em frente à Praça Paulo Afonso Junqueira. Uma era feita em março, em louvor a São José, e a outra em agosto, em homenagem a São Sebastião.
A fé dos moradores das fazendas em São Sebastião era grande; a ele confiavam seus animais, para protegê-los contra as pestes, e suas lavouras, para que ficassem livres das intempéries. Então, com satisfação, eles doavam cabeças de gado, leitoas, cabritos e sacas de mantimentos para serem leiloados. Era comum ver esses animais arrematados soltos nos grandes quintais do bairro. Nas festas havia sempre concorrentes que davam altos lances para levar para casa uma boa prenda e a renda era aplicada na construção da Escola Paroquial São Sebastião de Vila Cruz.

Tudo isso trouxe novo ânimo para os moradores e, em 1º de junho de 1948, o Engenheiro Dr. Otávio Lotufo aceitou fazer a planta da escola. No mês seguinte iniciou-se a construção e, em 19 de março de 1949, ela foi inaugurada pelo Cardeal de São Paulo, Dom Carlos Vasconcellos Motta.

Em agosto de 1949, o Padre Ryan foi substituído na Paróquia pelo Padre Willian Thomas Lindekugel, mais conhecido por Padre Lindy.

O Dr. Otávio Lotufo emprestou aos Oblatos uma imóvel de sua propriedade, localizado na Avenida Francisco Salles, onde hoje encontra-se a Colônia de Férias dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo, para que ali montassem uma serraria e iniciassem uma atividade que rendesse algum dinheiro para suas obras.

Padre Jaime Nicherson, que morou seis meses em Poços de Caldas ,sugeriu a Padre Lindy a compra de um caminhão para o transporte da madeira necessária aos trabalhos da serraria, uma vez que ficava mais barato do que contratar o transporte de terceiros. Certo dia, ao fazer um carregamento, uma vez que era o comprador e o motorista, avistou, do alto do Jardim Country Club, a área onde hoje se encontra a Igreja nova e decidiu procurar seus proprietários para solicitar sua doação.

Assim, em 1953, o Dr. Afonso Dias Araújo doou 7.500 m2 de terreno, entre a Rua Nico Duarte e a Avenida Champagnat, para a construção do centro comunitário, da nova casa paroquial e da Escola Profissional. A serraria foi, então transferida para terreno próprio.

O trabalho dos Oblatos conquistou e sensibilizou os moradores e nova doação aconteceu: a Família Marquart doou uma casa dupla na esquina das Ruas Nico Duarte e Gil Monteiro, para instalação de um ambulatório e um centro social, para atendimento de pessoas carentes. Isso se deu em 13 de agosto de 1954 e, até hoje, os imóveis doados são usados na mesma finalidade.

Em 1956 chegou a Poços a imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima. Milhares de pessoas acorreram à Paróquia, vindas de distâncias de até cem quilômetros. A imagem ficou dez dias na cidade e aqueceu o fervor religioso. A graça de Deus se fez presente na fé simples e autêntica demonstrada pelo povo.
Desde o início, os Oblatos procuraram desenvolver um sólido programa de vocações que garantisse o futuro do grupo. A princípio, eram quatro seminaristas, mas, no ano seguinte, o grupo aumentou e o Seminário foi transferido para Poços de Caldas.

Ainda em 1956 foi inaugurado um prédio espaçoso, numa área de dez alqueires, com capacidade para quarenta estudantes que, depois da desativação do Seminário foi transformado em Centro Pastoral e hoje abriga Faculdades (prédio 3) da Pontifícia Universidade Católica - PUC.

Os responsáveis pelo Seminário Menor Nossa Senhora da Esperança foram os Padres José Ryan e Jaime Sullivan. Em 1959, chega dos Estados Unidos da América o Irmão Daniel Hayes para integrar a equipe como professor de Física e Química. Foram comprados mais quarenta alqueires e, em 1962, um novo prédio foi inaugurado. Até então os seminaristas faziam o curso ginasial no Colégio Marista da cidade. Depois o curso passou a ser oferecido no novo prédio, atual Prédio 1 do campus da PUC. Já em 1957, o curso clássico era ministrado no primeiro prédio construído.

Quando o Governo do Estado de Minas Gerais assumiu a Escola Paroquial, os Oblatos passaram, então, a investir em outras obras necessárias na época, entre elas a construção de uma nova Igreja, concluída na década de 90.

A partir da década de setenta, a Paróquia São Sebastião ficou conhecida pelo seu envolvimento com encontros de jovens e casais. A Renovação Carismática Católica também data desta época, espalhando-se pela região e avivando a fé popular. A Pastoral Vocacional multiplicou-se pelo Sul de Minas e Estado de São Paulo.
Tendo dada por cumprida a sua missão em Poços de Caldas, os Padres Oblatos encerraram seu trabalho na cidade em dezembro de 2002.

Por ser uma Paróquia que abrange uma grande extensão territorial, diversas comunidades se formaram na área urbana (Maria Imaculada, Santo Expedito, Sagrada Família, São José e Santa Luzia) e também na zona rural (Córrego D'Antas e Fazendas Barreiro, Lambari, Santa Maria, Santa Marina, Matão, Cachoeirinha, Sete Quedas e Rolador).

Para atender às necessidades atuais da comunidade, o prédio da antiga Escola Paroquial foi reformado para servir como Centro de Formação, seu pátio foi coberto e transformado em Salão de Festas e o antigo Ginásio São Sebastião transformou-se em Casa de Retiro.

 

   

 

     

® 2012 - PARÓQUIA SÃO SEBASTIÃO - Todos os direitos reservados. - Rua Nico Duarte, 570- Bairro Vila Cruz - Poços de Caldas - MG | Tel.: (35) 3714. 2010 Domynio